O Tribunal do Júri da cidade de Lavras da Mangabeira no CE, condenou nessa terça-feira dia 06, o cajazeirense Iarley Mendonça de Souza, de 35 anos, a 22 de prisão pela morte da pequena Gabriela Aparecida Duarte da Silva, de 10 meses na época.
    O crime ocorreu em Lavras da Mangabeira no Ceará no início da noite de sexta-feira dia (26) de maio de 2017.
    O servente de pedreiro Iarley Mendonça de Souza, natural de Cajazeiras (PB), matou a pequena Gabriela Aparecida Duarte da Silva, de 10 meses, por meio de espancamento. 
    Após a violência, o acusado entregou Gabriela agonizando nas mãos da tia, Ana Rita Gomes Duarte, de 30 anos e fugiu sendo preso em seguida.
    A bebê foi socorrida às pressas para o hospital, mas não resistiu à gravidade da violência.
    Segundo o que foi apurado pela polícia, Iarley Mendonça estava tendo um romance com a mãe da criança, Magnolia Gomes dos Santos, há cerca de 3 meses.
    Iarley Souza, em depoimento ao delegado, falou que teria surtado e a criança caído no chão, batendo com a cabeça, o que não foi de encontro à versão de populares, que disseram que ele estava arremessando a bebê contra uma parede da rua Padre Raimundo Augusto.
    O servente de pedreiro confessou ainda ter mordido a mandíbula da criança, barriga e os dedos.