Segunda, 14 de Junho de 2021
83 9 9690-1026
Saúde Nova cepa indiana

Paciente de 29 anos morre com suspeita de infecção por nova cepa indiana do coronavírus

De acordo com a OMS, a B.1.617 é mais contagiosa em uma comparação inicial com a variante britânica

03/06/2021 06h04
Por: Danilo Almeida Fonte: Notícia Paraíba
Paciente de 29 anos morre com suspeita de infecção por nova cepa indiana do coronavírus

Um homem de 29 anos morreu por suspeita de infecção da nova cepa indiana da Covid-19, no Rio Grande do Norte.

 

A morte do paciente ocorreu na última segunda-feira (31), mas foi informada nesta quarta (2) pela Secretaria Estadual de Saúde Pública (Sesap).

 

Segundo a Sesap, o homem foi diagnosticado com o novo coronavírus e hospitalizado. O quadro de saúde evoluiu e o paciente foi transferido para uma Unidade de Terapia Intensiva com suporte ventilatório, onde permaneceu em isolamento por alguns dias, mas não resistiu e faleceu.

 

A suspeita é que ele tenha sido infectado coma variante B.1.617, já que ele tinha chegado recentemente do estado do Maranhão e com a RT-PCR confirmado para Covid-19.

 

Uma amostra foi enviada para análise para confirmar se o homem estava ou não infectado com a variante.

 

O Brasil tem até o momento oito casos confirmados da variante indiana: seis deles no Maranhão (cinco estão em quarentena dentro do navio e um deles está internado em São Luís), um no Rio de Janeiro (de um passageiro vindo da Índia e que desembarcou em São Paulo) e um em Juiz de Fora (também viajou ao país asiático e chegou ao Brasil via Guarulhos-SP).

 

De acordo com relatório da Organização Mundial da Saúde (OMS), a B.1.617 é mais contagiosa em uma comparação inicial com a variante britânica, mas ainda é investigado se ela está relacionada a quadros mais graves de Covid-19 e se ela aumenta o risco de reinfecção.

 

Apesar de ter sido notada no ano passado, foi somente em 10 de maio que a OMS classificou a variante B.1.617 como "preocupação global".

 

Acredita-se que variante se dissemine mais rápido. No entanto, cientistas ainda não sabem dizer se é mais letal e se tem maior transmissibilidade.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias