A noticia em tempo Real
bns

João acredita em ‘bom senso’ contra ameaça de greve de policiais

Joao Pessoa 14 de maio de 2019 entrevista com o governador do estado da paraíba, joão azevedo, no programa correio debate, da tv correio, apresentado pelo jornalista hermes de luna

O governador da Paraíba, João Azevêdo (sem partido), acredita no “bom senso” e que “haverá um caminho” para evitar greve de policiais e servidores da segurança pública, conforme ameaça da categoria, na sexta-feira (17).

Assim como a maioria dos servidores públicos do Estado, os policiais também tiveram um reajuste salarial de 5% que, quando descontada a inflação medida pelo Índice Nacional do Preços ao Consumidor (INPC) de 4,48%, registrada em 2019, representa um aumento real de 0,52%. Apenas professores tiveram reajuste maior nos salários, com 12,84%, e ganho real de 8,36% sobre a inflação.

João Azevêdo foi o entrevistado desta sexta-feira (24) do programa Correio Debate, da Rede Correio Sat. “Vamos discutir e apresentar os números, analisar as propostas apresentadas. Não tenho dúvidas de que vamos encontrar um caminho. Acredito no bom senso e no compromisso dos homens e mulheres que fazem a segurança deste estado”, disse ele, confiante no diálogo para evitar a paralisação geral.

Perguntado se há a possibilidade de conceder um aumento salarial maior que os 5% já anunciados para os servidores da segurança pública, João não deu resposta afirmativa, mas garantiu que a condição será discutida e avaliada a partir de números concretos. “Não podemos pôr em risco a gestão de um estado com 4 milhões de pessoas, que precisam de saúde, educação e políticas públicas de inclusão. Não podemos nos limitar a fazer gestão de folha”.

Convocação de suplentes da polícia

De acordo com o governador, 230 suplentes aprovados em concurso da Polícia Militar ainda aguardam convocação. Segundo João, 1.087 já foram chamados, dentre 1 mil do quadro oficial de vagas e 87 da suplência. Ele explicou que a convocação de suplentes depende da abertura de novas vagas na PM e do orçamento do Estado.

Greve de policiais

Na manhã de sexta-feira (17), representantes do Fórum das Entidades das Polícias Civil e Militar da Paraíba, composto por 14 entidades, foram recebidos pela equipe econômica do Governo do Estado, porém não houve avaliação da proposta de subsídio e média salarial do Nordeste apresentada em dezembro de 2019. Insatisfeitos, os sindicalistas saíram da reunião anunciando que uma greve é possível.

Os representantes das entidades foram recebidos pela equipe técnica do Governo do Estado que, além de não avaliar a 2ª proposta de pagamento de subsídios entregue em dezembro de 2019, propuseram um reajuste de 5% para todos os servidores, o que não foi aceito pelos sindicalistas, que alegaram que a cobrança da previdência retirará 3% do proposto aumento.

“Marcamos uma Assembleia Geral para fevereiro porque acreditamos no diálogo. Não é possível que depois de tanto fazermos pela sociedade paraibana, com 8 anos consecutivos de  redução de criminalidade, o Governo não faça o que os outros estados do Nordeste já fizeram, que é pagar dignamente o policial militar e civil. Estamos pedindo apenas uma média salarial fracionada até 2022”, afirmou Steferson Nogueira, presidente da Associação de Defesa das Prerrogativas dos Delegados de Polícia da Paraíba (Adepdel).

Portal correio

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.