Brasil vence Peru e faz as pazes com torcida com título da Copa América

O Brasil está de novo no topo do continente sul-americano. Pode não ser muito, ainda mais se lembrada a decepção na Copa do Mundo no ano passado, mas o time venceu o Peru por 3 a 1 e se redimiu neste domingo (7) com o título da Copa América. Não sem uma dose de sofrimento. Everton Cebolinha, Gabriel Jesus, que foi expulso no segundo tempo, e Richarlison fizeram os gols no Maracanã, no Rio. Paolo Guerrero marcou o dos adversários na final.

Diante de 69.986 pessoas (e uma renda recorde divulgada de R$ 38.769.850), o Brasil fez as pazes com a torcida e foi novamente vitorioso em sua própria casa. A conquista marcou a volta do time verde-amarelo ao Maior do Mundo depois de 84 partidas. O último jogo da equipe principal no Maracanã havia sido justamente na conquista da Copa das Confederações 2013 — o Brasil também levou os Jogos Olímpicos Rio 2016, mas com o time sub-23.

Substituto de Neymar, que conviveu com a acusação de estupro e ainda uma lesão no tornozelo direito, Everton ganhou a vaga pelo lado esquerdo do campo. E terá trabalho para ser substituído. Foi inclusive dele o gol que abriu o placar e embalou ainda mais a torcida, carente de ídolos e de bom futebol. Com o título, o Brasil chega a nove conquistas da competição continental (1919, 1922, 1949, 1989, 1997, 1999, 2004, 2007 e 2019).

Não bastasse o amplo favoritismo, a goleada por 5 a 0 na primeira fase ainda estava na memória, as coisas começaram ainda melhores para o time do técnico Tite, que pode ter feito seu último jogo à frente da equipe. Logo com 14 minutos, Daniel Alves descolou ótimo lançamento para Gabriel Jesus, que se livrou de Trauco e cruzou para Everton, na outra trave, sozinho, abrir o placar.

O Peru, no entanto, não era nem de longe aquele time que foi batido facilmente na primeira fase. Ricardo Gareca não só postou melhor a sua defesa, como também promoveu boas tramas ofensivas entre Carillo e Guerrero. Aos 40 minutos, Thiago Silva se atirou no chute de Cueva e tocou com o braço na bola. O árbitro Roberto Tobar Vargas, do Chile, foi consultar o VAR na beira do campo, mas a decisão foi mantida. Na bola, Guerrero só deslocou o goleiro Alisson.

Mas o Brasil foi coroado com quem efetivamente joga mais bola. Arthur saiu para o jogo de cabeça erguida, e encontrou Gabriel Jesus. O atacante, tão contestado exatamente no último Mundial, teve a calma que lhe é habitual para só tirar do goleiro Gallese e devolver a vantagem no placar.

A etapa final era para não correr riscos desnecessários. Aliás, o Peru quem tinha que se lançar ao ataque e assim, naturalmente, se esqueceu de Philippe Coutinho. O meio-campo pegou a bola no campo de defesa, escapou dos marcadores e por pouco não fez um golaço no Maior do Mundo. Poderia ter sido mais fácil. Gabriel Jesus recebeu o segundo cartão amarelo, depois de divida pelo alto com Tapia, aos 24 minutos.

A etapa final era para não correr riscos desnecessários. Aliás, o Peru quem tinha que se lançar ao ataque e assim, naturalmente, se esqueceu de Philippe Coutinho. O meio-campo pegou a bola no campo de defesa, escapou dos marcadores e por pouco não fez um golaço no Maior do Mundo. Poderia ter sido mais fácil. Gabriel Jesus recebeu o segundo cartão amarelo, depois de divida pelo alto com Tapia, aos 24 minutos.

Tite ainda tratou de trancar o time com a saída de Coutinho e a entrada de Éder Militão — Richarlison já havia entrado no lugar de Roberto Firmino e, por último, Allan no lugar de Everton. Apesar da pressão, deu certo. As coisas ainda ficaram mais tranquilos só depois que Everton trombou com Zambrano na área e o árbitro marcou pênalti. Aos 42 minutos, Richarlison garantiu o campeoanto.

O Brasil reconquistou o continente depois de quatro edições da Copa América e, mais do que isso, fez as pazes com a torcida.

R7