Onze pessoas foram presas durante operação contra furto de energia nas cidades de Catolé do Rocha, São Bento e Paulista, no Sertão da Paraíba. A fiscalização ocorreu na segunda (13) e nesta terça (14).
Segundo a Energisa, a perda de energia nos três municípios soma 14,5 MWh, o que equivale a uma queda de faturamento de R$ 7 milhões por ano. Essa energia seria suficiente para atender 5,5 mil unidades consumidoras por um ano, o que equivale ao município de Brejo do Cruz, por exemplo.
A ação, que teve como algo principalmente unidades comerciais e residenciais de grande porte, foi desenhada após denúncias de clientes da região e estudos realizados pelo Centro de Inteligência da Energisa.
Uma vez constatadas as irregularidades, os responsáveis devem responder criminalmente pelo delito, já que o crime de furto de energia é previsto no Código Penal, no art. 155 e art. 171, que prevê uma pena de até cinco anos de reclusão e multa.
Balanço
Apenas em 2018, mais de 10.000 unidades consumidoras na Paraíba foram fiscalizadas e 113 foram pessoas autuadas e presas com o apoio da Polícia Civil e o Instituto de Polícia Científica (IPC).
Crime
Além de crime o furto de energia prejudica toda a população. “O Governo do Estado deixa de arrecadar em função do furto de energia mais de R$ 35 milhões de ICMS. A população perde com isso, uma vez que os valores poderiam ser revertido em infraestrutura básica, como saúde e educação, por exemplo”, ressalta o gerente do departamento de combate a perdas, Daniel Andrade.
Como denunciar
Para denunciar o furto de energia, de forma rápida e anônima, a população pode entrar em contato com a Energisa através do call centre 0800 083 0196, site, WhatsApp 83 99185-3738, aplicativo Energisa On ou na Agência de Atendimento da sua cidade.

Por: Fala-PB